Carta do presidente Ricardo Patah aos filiados

Companheiros e companheiras ugetistas,

O 4º Congresso Nacional Ordinário da União Geral dos Trabalhadores (UGT), realizado nos dias 30 e 31 de maio, foi, mais uma vez, um enorme sucesso.

Eu agradeço a confiança de cada um para seguir presidindo a nossa UGT e, mais do que nunca, conto com a dedicação, o trabalho, a sabedoria e a experiência de cada um.

Saímos renovados do Congresso. Apesar do momento político dificílimo que atravessamos, ficou claro que estamos dispostos a superar essa crise.

Vencemos uma batalha. O movimento sindical, especialmente a UGT, lutou bravamente para que a Medida Provisória (MP) 873 não fosse votada no Congresso Nacional e não ocorresse o extermínio das organizações dos trabalhadores. Conseguimos e a MP caducou.

No entanto, estamos cientes de que o governo não aceitará essa vitória. Outras ameaças virão, com o intuito de fragilizar o trabalhador e as organizações que o protegem. Inclusive, já foi apresentado no Senado um Projeto de Lei (3814) que visa alterar artigos da CLT e “ressuscitar” a MP 873.

Por isso, o que precisamos neste momento é da conscientização do protagonismo de cada sindicato nessa luta. É hora de encontrar, de forma individual e, consequentemente, conjunta, um novo caminho de atuação das entidades sindicais perante os trabalhadores e a sociedade.

A união é fundamental. Mas ainda mais necessária é a ação de cada sindicato que compõe a nossa UGT, ao buscar novas formas de representar e defender o trabalhador.

Não podemos nos prender ao passado nem esperar que ações de outrem definam o nosso futuro. Cada um de nós deve agir hoje. Cada um de nós deve encontrar alternativas e colocá-las em prática hoje.

O caminho a ser trilhado rumo ao sucesso depende de estarmos juntos, de agirmos localmente, de conseguirmos cada vez mais interlocução com o Parlamento de cada cidade, cada Estado em que atuamos.

A UGT possui hoje 1300 sindicatos filiados. São 1300 presidentes. Milhares de funcionários. Milhões de trabalhadores representados. Ou seja, são muitas cabeças pensantes, muitos braços fortes, que, certamente, encontrarão caminhos que, mesmo que aparentemente individuais, se colocados em prática e compartilhados, levarão a conquistas coletivas – a base do sindicalismo cidadão.

O sucesso em âmbito nacional está diretamente ligado à junção dos feitos regionais.

No nosso Congresso, foi apresentado um documento chamado “Resoluções”. Obviamente, não é uma solução pronta ou mágica. Mas é um indicativo de como TODOS devem proceder para manter vivas a nossa organização e a luta pelos direitos trabalhistas dos cidadãos brasileiros.

Se seu sindicato ainda não recebeu esse material, entre em contato com a Secretaria de Organização e Políticas Sindicais da UGT Nacional e solicite o seu. É imprescindível que você tome conhecimento dessas sugestões e aplique-as com os devidos ajustes em função da regionalidade.

Faça sua parte, seja conquistando associados, atuando ou influenciando politicamente em favor dos trabalhadores, promovendo capacitações, divulgando o trabalho das entidades sindicais etc.

Estou certo de que posso contar com a sua colaboração e aguardo ansiosamente pelo compartilhamento dos resultados positivos das ações do seu sindicato.

Além disso, sugestões e críticas também podem ser enviadas a este mesmo e-mail.

Abraços fraternos,

Ricardo Patah
Presidente nacional da União Geral dos Trabalhadores