Presidente da UGT-PR destaca ação da Secretaria de Articulação Social

Miguel Salaberry Filho, Carmem Silvia Correa Bueno e Paulo Rossi

BRASÍLIA/DF – Já na condição de conselheiro do CCFGTS, o presidente da União Geral dos Trabalhadores do Paraná (UGT-PR), Paulo Rossi, foi ao encontro de Carmem Silvia Correa Bueno, diretora do Departamento de Relações Político-Sociais da Secretaria Nacional de Articulação Social, no Palácio do Planalto, na companhia de Miguel Salaberry Filho, Secretário de Relações Institucionais da UGT.

Os ugetistas agradeceram a participação da Secretaria no Seminário “Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)”, realizado entre os dias 29 a 31 de outubro, em Foz do Iguaçu, e que debateu assuntos da atualidade do Mundo do Trabalho que estão diretamente ligados aos interesses dos trabalhadores e à organização sindical. Além de participar ativamente, UGT foi uma das entidades organizadora do evento, que alcançou repercussão internacional.

Paulo Rossi, que também preside o Sindicato dos Empregados em Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros, Colocação e Administração de Mão-de-Obra, Trabalho Temporário, Leitura de Medidores e de Entrega de Avisos no Paraná (Sineepress), foi portador de menção honrosa da Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) para Carmem Bueno, quando o Legislativo paranaense organizou sessão solene para homenagear a passagem dos 10 anos de fundação da UGT-PR, comemorados na simbólica data de 8 de março, quando o mundo reverencia o Dia Internacional da Mulher.

A solenidade, realizada na ALEP, por proposição do deputado estadual Ney Leprevost (PSD), contou com a presença do presidente nacional da UGT, Ricardo Patah, lideranças sindicais, políticas, representantes da sociedade civil organizada, que destacaram as múltiplas atividades da Central ao longo de uma década de existência.

REAPROVEITAMENTO DO LIXO – Na ocasião, Rossi e Salaberry sugeriram à diretora da Secretaria Nacional de Articulação Social que o governo inclua na pauta do Comitê dos ODS a questão do reaproveitamento do lixo da indústria da construção civil, cujo desperdício é um dos grandes desafios do setor no Brasil. Levantamento organizado pela Financiadora de Estudos e Projetos do Ministério da Ciência e Tecnologia (FINEP), intitulado Alternativas para a redução do desperdício de materiais nos canteiros de obras” constatou que são gastos 8% a mais em material do que o necessário, tanto na própria edificação quanto em entulho. O desperdício de massa fina pode chegar a 80% e o de tintas e tijolos a mais de 25%.

Renato Ilha, jornalista (MTb 10.300)

Repórter Fotográfico André Oliveira (MTb) 16650/05